sábado, 12 de março de 2011

Os 10 Fórmula 1 mais bonitos


Depois de eleger as dez pinturas de capacetes mais bonitas, agora vou listar aqui os Fórmula 1 mais bonitos da história, claro, na minha opinião. Os quesitos são, além do desenho, a pintura dos modelos. Então vamos à minha lista:
Brabham BT56 - a equipe criada pela lenda Jack Brabham teve um período do glórias na Fórmula 1, como equipe de ponta desde a década de 60 até o início dos anos 80. Em 1987, apesar de contar com o excelente motor BMW, a Brabham começava a entrar em um período de decadência. Mas veja o modelo da foto, justamente o de 87. Veja o perfil do carro, bem baixo, com um peril bem limpo. Esse modelo me impressionou desde a primeira vez que o vi e logo o elegi como um dos mais bonitos da Fórmula 1.




Arrows A21 - Aqui, a combinação do laranja e preto é arrebatadora. Para mim, uma das pinturas mais bonitas dos tempos modernos da categoria. Os pilotos daquela temporada eram o espanhol Pedro de La Rosa e o holandês Jos Verstappen, piloto que sempre admirei pela pilotagem agressiva e pela velocidade. Jos marcou 5 pontos e De la Rosa, 2 em 2000.






Shadow UOP - se fosse vivo na década de 70 (nasci em 1981), com certeza uma das minhas equipes preferidas seria a Shadow. O modelo da foto é o de 1974, pilotado pelo Galês Tom Pryce, um clássico, com a sua pintura negra e a inscrição UOP em conjunto com a bandeira norte-americana. Um dos meus modelos preferidos na Fórmula 1.



Arrows A2 - 1979 foi o ano do auge da era "efeito-solo" na Fórmula 1. Todas as equipes investiam em seus projetos os conceitos do "carro-asa". Com a equipe inglesa Arrows, não foi diferente. O carro caracterizava-se pela ausência de aerofólios, sendo que o próprio monocoque e a carenagem faziam as vezes das asas. O desenho chega a ser futurista, bem diferente, e combinado com o dourado da pintura do patrocinador, a cerveja Warsteiner, entrou para a minha galeria de Fórmula 1 mais bonitos.




Copersucar Fittipaldi FD01 - o primeiro carro da equipe brasileira chamou a atenção do circo da Fórmula 1 com seu desenho revolucionário para a época. Em uma fase em que os carros caracterizavam-se pela profusão de entradas de ar por todos os lados do monocoque, o FD01 tem um desenho limpo, formas arredondadas e frente em cunha, projeto assinado pelo projetista brasileiro Ricardo Divilla. A pintura era algo a parte: idealizada pelo mestre Sid Mosca, tinha a predominância do prateado, com as laterais ornadas pelo pássaro colorido do patrocinador principal, a Copersucar. Não existia nada similar naquela temporada. O carro não obteve bons resultados no seu ano de estréia, em 1975, assim como todos os outros modelos da história da equipe Fittipaldi. Infelizmente, nem o povo brasileiro nem as empresas nacionais souberam entender o pioneirismo e o esforço que era manter uma equipe na categoria máxima do automobilismo. A equipe fechou em 1982.




Ligier JS39 - além da Williams, sempre tive simpatia pela equipe francesa, de propriedade de Guy Ligier. Nas duas últimas etapas da temporada de 1993 (Japão e Austrália) a equipe adotou uma pintura idealizada pela artista italiano Hugo Pratt. Esta pintura gerou manifestações de amor e ódio, mas eu particularmente achei o carro muito bonito.



Lambo-Lamborghini - o único modelo da Lamborghini na Fórmula 1 sempre me fascinou. O desenho sempre me chamou a atenção, bem como o azul metálico da carenagem e também o ronco do motor V12. Infelizmente Nicola Larini e Eric Van de Poele penaram com o desempenho do bólido e no final da temporada de 1991 a Lambo abandonou a categoria, mantendo apenas o fornecimento dos motores V12 para algumas equipes.





Williams FW15B - nunca escondi de ninguém a minha simpatia e torcida pela equipe Williams. O bólido que deu o tetracampeonato a Alain Prost, em 1993 foi o último modelo equipado com toda a eletrônica embarcada, que contemplava a eficiente suspensão ativa, o que fez Ayrton Senna chamar os modelos da equipe inglesa de "carros de outro mundo". Neste caso, a pintura nem é o grande atrativo deste modelo, mais sim o seu desenho.



Jordan 191 - a Jordan assombrou a Fórmula 1 na sua temporada de estréia, em 1991. Apesar de utilizar o propulsor V8 da Ford, o carro era muito equilibrado e conseguiu bons resultados para uma equipe debutante. Além de bom, o carro era bonito. A combinação do verde "Seven-Up" com o desenho do carro é uma das mais felizes da história da Fórmula 1.


Lotus 72 - talvez um dos mais importantes, senão o mais importante modelo da história da Fórmula 1, por conta das diversas inovações técnicas contidas em seu chassi, fruto da genialidade de seu projetista, o engenheiro e dono da Lotus, Colin Chapman. O esquema de pintura preta e dourada, inspirado no pacote de cigarros do patrocinador John Player Special é lindíssimo e tornou-se um clássico. A Lotus o utilizou de 1972 até 1986 e agora será utilizado pela Renault-Lotus na temporada 2011.



Agora é com você. Faça a sua lista de preferidos e poste um comentário.

Um comentário:

  1. Cara, considero a Jordan verde o carro mais lindo de todos. Mas claro, o mais importante com certeza é a Lotus 72.

    abraços

    ResponderExcluir