sábado, 11 de novembro de 2017

Tiago Monteiro - o campeão moral do WTCC 2017


Era para ser mais uma sessão de treinos rotineira na temporada 2017 do WTCC, o campeonato mundial de carros de turismo, em Barcelona, no começo do mês de setembro. Já no final da programação dos testes, o piloto português Tiago Monteiro perdeu o controle do seu Honda Civic e bateu violentamente. Segundo o piloto, o carro ficou sem freios a mais de 250 Km/h no final da grande reta. Foi um grande acidente, que fez o Tiago perder os sentidos na hora e ficar por duas semanas internado na cidade espanhola.





Assim que conseguiu, Monteiro, que até então era o líder do campeonato com boa vantagem, postou em sua conta no facebook dando explicações sobre o acidente: "esta 4ª feira tive um acidente durante os testes em Barcelona, uma saída na curva 1 a alta velocidade e bati forte. Fui levado para o hospital onde ainda estou internado a realizar exames médicos e sob observação mas quero-vos descansar a todos. A Diana (esposa de Tiago) está aqui comigo, estou a recuperar e a dar tudo por tudo para poder continuar a minha luta pelo campeonato já na próxima corrida na China!"

A recuperação de Monteiro tem sido árdua e lenta, porém mesmo com todo esforço e boa vontade do piloto português, ele ainda não foi autorizado pelos médicos a voltar à pilotagem de seu Civic. A expectativa era voltar a correr no fim de semana próximo, na volta do WTCC às apertadas ruas do circuito da Guia, em Macau, na China. Mas infelizmente, não será possível.





Tiago vinha em ótima forma em 2017, com a liderança do mundial de carros de turismo até o momento do acidente. O Honda Civic vinha em excelente forma e a pilotagem constante de Monteiro consolidou a ponta do campeonato. Mesmo conseguindo voltar na última etapa do Qatar, a chance de título para Tiago ficou praticamente impossível. Como existe a ameaça na não realização do WTCC em 2018, é muito triste saber que o piloto português perdeu uma excelente chance na carreira. Dessa forma, e por tudo o que aconteceu, podemos entitular Tiago Monteiro como o campeão moral da temporada.


domingo, 6 de agosto de 2017

Dopamina Endurance Series - 3 Horas de Interlagos - Chevrolet Absoluta 500


No último domingo, 30 de Julho, estivemos presentes em Interlagos para acompanhar a terceira etapa do Dopamina Endurance Series, o campeonato brasileiro de longa duração. A prova teve a participação de 38 carros, divididos em seis categorias diferentes (GP1, GT1, GT2, P2, P3 e Turismo). As ausências sentidas no grid foram do Protótipo MR Lamborghini V10, que teve uma quebra de motor nos treinos e não alinhou para a largada e também do protótipo MetalMoro AJR, que não compareceu no evento.

A pole-position ficou com o Porsche 911 GT3 R inscrito pela Sttutgart Sportscar Brasil, pilotado pela dupla Marcel Visconde e Ricardo Mauricio. A pole foi a primeira do modelo alemão no campeonato. Os líderes do campeonato, Tiel de Andrade e Franco Pasquale, que pilotam um protótipo MC Tubarão, largariam na terceira posição.




Porsche 911 GT3 R


A largada da prova foi dada pontualmente às 15h. A entrada franca trouxe a presença de um bom público às arquibancadas, público este que acompanhou outras corridas durante o domingo e também por todo o fim de semana da programação do campeonato paulista de automobilismo.

O Porsche 911 liderou quase toda a prova e no começo da disputa chegou a abrir mais de 40 segundos do segundo colocado. Após a abertura da primeira janela de paradas obrigatórias de boxes (que devem durar, por regulamento, 3 minutos e meio) o modelo alemão, que tem próximo dos 500 cavalos de potência, perdeu a liderança e chegou a cair para a quarta posição na classificação geral da prova. Neste instante, a prova era ponteada pelo protótipo MR18 branco da dupla Francesco Ventre e José Eduardo Ventre.

O protótipo MC Tubarão líder do campeonato com Tiel de Andrade e Franco Pasquale teve um problema sério com uma mangueira de água, que alijou logo cedo a equipe pela vitória da liderança da prova. Eles voltaram para a disputa e finalizaram na quinta posição, salvando alguns pontos que podem fazer a diferença na disputa do título.

A prova foi bastante acidentada, com diversas escapadas, acidentes e carros com problemas mecânicos parando pelo traçado, culminando em muitas entradas do safety car. Como efeito, a corrida adentrou a noite de domingo. Neste momento, por questões de segurança, a direção da prova decidiu por encerrar a prova, faltando 13 voltas para o fim.

A vitória ficou com o Porsche 911 GT3 R da dupla Ricardo Mauricio e Marcelo Visconde, a segunda no campeonato. A segunda posição ficou com o protótipo MRX da dupla do Mato Grosso do Sul, Nilson Ribeiro e José Roberto Ribeiro, com um detalhe interessante: terminaram na mesma volta do líder, mesmo após mais de 3 horas e meia de prova. O pódio foi completado pela Lamborghini Gallardo laranja da trinca paulista Sérgio Laganá, William Freire e Marcello Sant´anna. Todos os três primeiros colocados pertencem à classe GP1.

Para o fã de automobilismo e das corridas de endurance, a presença em Interlagos foi a oportunidade de reencontrar com as provas de longa duração nacionais, que infelizmente estão em falta nos últimos anos. Este ano já tivemos a realização das 8 Horas de Marcas e Pilotos paulista, o que nos deixa um pouco mais esperançosos de que esta cultura das provas longas não vai deixar de existir.

A seguir, seguem os cliques da prova realizados por mim:









Expectativa do público e últimos preparativos das equipes no grid antes da largada








Depois de um princípio de incêndio nos boxes, dentro da primeira janela de paradas obrigatórias, o protótipo MRX de Alan Chanoski e Alexandre Finardi parou antes da entrada do laranjinha, demandando a entrada do resgate




Uma das diversas intervenções do Safety Car na prova








O Chevrolet Sonic Stock Car V8 da dupla gaúcha André Senger e Humberto Giacomello finalizou na segunda posição na categoria GT1 e na décima segunda posição na classificação geral.





O VW Gol 2.0 dos gaúchos Juarez Terres, Ricardo Terres e Pedro Ávila foi o único representante da categoria Turismo e ganhou a simpatia dos torcedores paulistas presentes nas arquibancadas





O protótipo Tubarão pilotado pela dupla Julio Martini e Marcelo Viana finalizaram na oitava posição na classificação geral e venceram na classe P3






Era esperada uma boa briga entre o Porsche 911 GT3 R e o protótipo preto e vermelho dos líderes do campeonato Tiel de Andrade e Franco Pasquale, porém, problemas mecânicos com o MC Tubarão atrasaram a dupla, que finalizou na décima posição na classificação geral





Disputa lado a lado entre o protótipo MR18 azul do trio Claudio Ricci, Felipe Roso e Vinicius Roso e o MRX amarelo Sergio Cardoso e Gustavo Tomazini




MRX de Aldoir Sette e Marcelo Campagnolo








Na foto acima é possivel ver combustível saindo do bocal do tanque do Chevrolet Vectra Stock Car V8 dos pilotos Juarez e Esdras Soares.




Peugeot Stock Car V8 de Reinaldo Rena, Esio Vichiese e Roberto Rossatti foi o terceiro colocado na classe GT2





Protótipo MRX do português João Lemos e do paulista André Moraes foi o décimo colocado na categoria GP1




Quarta posição na classe GP1 e sexta colocação no geral para o MR18 dos gaúchos Felipe e Vinicius Roso e Claudio Ricci











O MRX dos paulistas Fernando Ohashi e Henrique Assunção terminaram a prova em uma excelente segunda posição na classe P2




O Chevrolet Cobalt V8 Stock Car do trio Ney Faustini, Mauricio Salla e Ney de Sá Faustini fializou apenas na vigésima posição. Problemas mecânicos no início da prova frustaram a boa expectativa de resultados






MCR/VW Turbo de Ian Jepsen e Daniel Claudino







Os vencedores da classe GT1 foram Paulo Rutzen, Gustavo Martins e Vilson Verardi Jr., com a Lamborguini Gallardo azul da foto acima




Ferrari F430 de Carlos Kray, Telmo Tecchio e Ricardo Mendes, a terceira colocada na categoria GT1




Protótipo Spyder Race de Vander Penques, José Carlos Soares e José Magalhães Neto







BMW M3 que compete na classe GT1 e é preparada pelos gaúchos da MC Tubarão. 




















Belíssima pintura do MR18 de Emilio Padron e Fernando Fortes







Chevrolet Vectra V8 Stock Car de Juarez e Esdras Soares









Protótipo MC Tubarão de Mauro Kern e Paulo Souza, terceiro colocado na classe GP2





O Maserati Trofeo Maurizio e Marco Billi foi o vencedor na categoria GT2





Protótipo Spyder Race de Beto Monteiro, Paulo Totaro e Leandro Totti




Segunda posição na classificação geral, na mesma volta do Porsche vencedor: excelente resultado para o protótipo MRX pilotado por Nilson Cintra e José Roberto Cintra





O quarto colocado na classificação geral foi o protótipo acima, o MRX de Carlos e Yuri Antunes, que também foram os vencedores da classe P2 

















Protótipo 1R SPMEC segundo colocado na categoria P3, pilotado pelo quarteto Emilio Padron, Pedro Serrano, Eduardo Violante e Renan Guerra




Flagra dos discos de freio incandescentes na freada do laranjinha do protótipo MR18 de Francesco Ventre e José Eduardo Ventre Dieter. Eles chegaram a liderar a prova mas no trecho final perderam rendimento




Spyder Race da dupla paranaense André Varassin e Vinicius Palma




Por onde passava, o Dodge Challenger acima impressionava pelo ronco do motor V8 e também pelas espessas labaredas de fogo que saíam dos escapes laterais a cada reduzida. O carro, que foi construído na base de um Stock Car, competiu na classe GT1 e finalizou na quarta posição, pilotado pelos paulistas André Carrillo e Rodrigo Corbisier









Fiat Linea Trofeo, segundo colocado da classe GT2



A Lamborguini Gallardo laranja foi a terceira colocada, mesma posição na sua classe, a GP1














Protótipo 1R SPMEC de Mallaco Maam e Leonardo Mallaco