segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Mais aventuras no Jaguaré


Sábado foi a vez de Reginaldo e eu participarmos da etapa classificatória do campeonato de kart do banco, no Kart Indoor Jaguaré. Por conta da configuração da pista, da "boa vontade" no trabalho dos fiscais e da costumeira má vontade dos retardatários em ceder lugar aos mais rápidos, não estávamos tão animados com as corridas que teríamos pela frente. O primeiro a ir para pista, pela manhã, foi Reginaldo. Havia uma grande expectativa para a prova, pois Reginaldo já conseguiu duas vitórias nesta pista (não exatamente na mesma, pois neste ano eles mudaram a configuração do traçado). Depois de aproximadamente 10 minutos de classificação, terceiro posto para nosso intrépido piloto. Já na largada Reginaldo assume a segunda posição, mas não consegue alcançar o primeiro. Ao contrário, tem de se preocupar com o terceiro, que logo passa a pressioná-lo. Mais algumas voltas e perde a posição. Seu kart visivelmente perde rendimento e ele ainda perde mais duas posições, mas até o final da prova, recupera-se e termina na quarta posição.





Mais tarde, foi a minha vez. Minha expectativa, se não conseguisse vencer, era de pelo menos melhorar o retrospecto, que não havia passado de uma sexta posição. Ao sair para as voltas de classificação, meu kart não pegava. Tive de mudar de kart, mas já havia perdido munitos preciosos. Ao sair para a pista, perdi a paciência, não conseguia fazer uma volta limpa. Quando consegui fazer uma volta boa, a classificação havia terminado. Resultado: largaria na sexta posição. Na largada, já consegui ultrapassar o quinto colocado na primeira curva. Um pouco mais à frente, coloquei de lado e ultrapassei o quarto. Mais algumas voltas e alcançaria o terceiro. Negociei a ultrapassagem e consegui passar no final da reta. Era a hora de ir à caça do segundo. Mais duas voltas e chegava para tentar passar. É quase que inevitável o famoso "totó" quando está andando junto. Foi por causa desses toques que levei uma advertência (bandeira preta e branca junto do número do kart). Tive de ter um pouco mais de paciência e esperar o melhor momento para passar. Um vacilo na passagem dos retardatários e ultrapassei o segundo. Agora era ir atrás do primeiro, mas onde estava o primeiro. O cara simplesmente sumiu, abriu uma belíssima vantagem, que no final da prova chegou a 27 segundos. Em suma, cheguei em segundo e mais uma vez não me classifiquei para as próximas fases. Mas pelo menos consegui um dos objetivos que era melhorar o retrospecto nesta pista.




Bem meus amigos, terminaram nossas aventuras não tão bem sucedidas no Kart In Jaguaré. Agora a próxima prova, de comemoração de final de ano será no fim de semana do dia 12, no Kartódromo Ayrton Senna (Interlagos).

2 comentários:

  1. Pois é meu chapa. Parabens pela egrégia evolução este ano no Jaguaré. Agora eu me pergunto quando o Kartódromo Jaguaré vai melhorar o serviço prestado e equipamento oferecido? Quando um Banco do porte que conheemos fará um campeonato pra todos em kartódromo decente e não somente para vinte pessoas? Ass.; Reginaldo P.

    ResponderExcluir
  2. E aí meu camarada!!!

    Realmente é uma pena o que aconteceu com todos nós, mas como o Reginaldo disse, quando que o serviço do Kartódromo Jaguaré vai melhorar o serviço prestado, assim como, seu equipamentos??? Na minha humilde opinião acho que jamais vai melhorar, por isso acho que o Banco deve mudar o campeonato de lugar e realizá-lo em Kartódromos de tradição, não que seremos os melhores e nem mesmo as promessas de um de nós se consagrar campeão, mas com muita certeza poderemos colocar nossas habilidades na pista que, sem dúvida, oferecerá uma ótima infraestrutura (acho que com a nova regra linguística é assim que passou a se escrever).

    A minha vez já foi e agora infelizmente a tragédia acontece com vocês dois e o que posso dizer nesse momento é que ao longo dos anos apanhamos muito, sofremos, nos frustramos por diversas vezes, mas o mais importantes é que aprendemos, melhoramos, nos doamos de corpo e alma para galgar posições melhores nas corridas e... elas vieram com o passar dos anos.

    Por isso, saibam que o aconteceu nesse dia não pode ser considerado, afinal acredito piamente na habilidade de cada uma com suas respectivas peculiaridades.

    Vamos "rezar" e aguardar que o RH do Banco possa ter a coragem de mudar o local da competição desde a fase classificatória.

    Obs.: o que posso dizer nesse espaço ou nessa observação é que vi um Rodrigo diferente, atacando, sendo mais agressivo e arriscando mais, enfim, com a faca nos dentes. Claro que quando se anda dessa forma você está na iminência de cometer falhas e penalidades, mas faz parte, afinal, nessa hora é tudo ou nada e o importante é não desistir nunca, como você mesmo disse antes da minha corrida.

    Um grande abraço do seu amigo e fã do piloto Rodrigo e Reginaldo,

    Tatá.

    ResponderExcluir